OS DOIS LADOS DOS SONHOS

0

Quando estamos muito apegados a um determinado sonho, geralmente não visualizamos a outra face da moeda. Já pensou nisso?

Calma, o texto não tem o intuito de mostrar que não devemos sonhar, pelo contrário, a ideia é mostrar que o sonho pode ser explorado de uma maneira mais sólida. Sonhar é necessário, motiva, nos coloca num estado futuro, gerando satisfação momentânea, porém se limita ou morre quando não agimos para alcançá-lo.

Importante que ao desejar algo, entendamos que, teremos de abrir mão de algumas coisas (sejam elas boas ou ruins), ex.: Tenho o sonho de emagrecer, pra isso preciso me exercitar, preciso abrir mão de alimentos não saudáveis, preciso abdicar de coisas que me satisfazem (esse é o outro lado da moeda). Outro ex.: Quero estudar fora do país, pra isso preciso ficar longe dos familiares, amigos, me adaptar ao novo clima, começar as amizades do zero, adaptação aos alimentos, enfim.

Quando falo em “se apegar aos sonhos”, é a mesma coisa que visualizá-lo somente nos aspectos favoráveis, deixando aspectos desfavoráveis de lado, isso pode se tornar um problema lá na frente. Uma pessoa que quer assumir um cargo de direção em uma multinacional visualiza o prestígio, o poder na tomada de decisões, o dinheiro, as viagens, as participações em grandes negociações, o relacionamento com pessoas importantes, etc., isso é bem legal realmente, agora pensamos no tempo que teremos pra nossa família (ou falta dele), nosso lazer, nosso descanso, nos momentos livres que teremos pra sair com os amigos, entre diversos outros fatores.

A estruturação do sonho começa quando levantamos os pontos positivos e negativos. Isso pode ser feito de uma maneira bem simples (em nível de ferramenta), ao mesmo tempo é essencial que consigamos extrair o máximo de informações do nosso cérebro, quanto mais informações, maior a estruturação e a minimização dos impactos futuros, quando, por fim, alcançarmos o que tanto queremos.

Uma maneira é a SWOT PESSOAL (Ferramenta extraída da SBCoaching), como funciona:

1

Strengths (Forças Internas) – Quais são seus pontos fortes, principais forças, qualidades, virtudes ou talentos?

Weaknesses (Fraquezas Internas) – Quais são seus pontos a serem melhorados, principais fraquezas, defeitos ou dificuldades?

Opportunities (Oportunidades Externas) – Que oportunidades existem para você aproveitas essas forças e alcançar seus objetivos?

Threats (Ameaças Externas) – Que ameaças existem pelas suas fraquezas que podem impedir você de atingir seus objetivos?

2

Importante se aprofundar nas respostas, a fim de que se tenha base para análise do quadro.

Tendo a percepção completa das Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças sua decisão será muito mais embasada, e quando as realizações desejadas se concretizarem, o impacto daquilo que não se enxergaria se não tivesse feito essa análise será menor, ou, pelo menos, será previsto, menos vulnerável a grandes impactos.

Vinícius Ferreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s