CULTURA ORGANIZACIONAL

442342

Um dos grandes problemas existentes nas empresas atualmente, é não saber reter os talentos, o foco na produção para atendimento da demanda muitas vezes é pautado no “custe o que custar”, ocasionando em insatisfação profissional, altos custos produtivos, quebra de máquina por uso indevido, insatisfação dos clientes, entre outros. Bons colaboradores que visualizam vulnerabilidades e falhas internas buscando alternativas de melhorias, ao serem constantemente barrados, cessam suas ações, podendo trilhar dois caminhos: zona de conforto e estagnação ou total descontentamento seguido de um pedido de demissão.

Com a sistematização das empresas, o acompanhamento do desempenho dos processos passou a ser mais acessível aos gestores, sendo analisado por meio de números, que demonstram de maneira mais analítica se estão ou não dentro do que a organização espera. Quanto melhor os números apresentados, maior os ganhos financeiros, o que determina se os colaboradores estão suprindo os requisitos que são de produzir mais, a fim de faturar mais, tendo como consequência a estabilidade da companhia, em um mercado tão incerto isso é indispensável.

Em prol do aumento da produtividade, as empresas romperam com as relações de lealdade com seus profissionais e passaram a valorizar muito mais aqueles que mais contribuem para o aumento dos lucros e descartar os que não dão resultados (FREITAS, 1999).

Competentes inconscientes (aqueles que fazem no automático o que é certo) devem atrelar conhecimentos técnicos de gestão à cultura organizacional, adaptando ferramentas ao estilo de trabalho, de modo que mantenha suas características. A adaptação das ferramentas ao estilo de trabalho, não deve impactar na sua eficácia.

O sucesso ou não da implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade está associada à cultura organizacional, desta também sendo dependentes as técnicas da qualidade a serem implementadas. Há também uma ligação entre o sucesso da implementação de um sistema de gestão à adaptação das ferramentas e metodologias à cultura organizacional (GAMBI, 2014).

Gambi (2014) associa a cultura organizacional com o uso de técnicas da qualidade, reforçando que a implementação de um sistema de gestão da qualidade depende de aspectos culturais da empresa, sendo algumas organizações mais receptivas a iniciativas do que outras, devido às suas características culturais.

Uma boa gestão de mudanças é fundamental em qualquer processo de otimização, as pessoas devem estar sedentas pelo novo.

CEOs (Chief Executive Officer – Chefe Executivo Geral ou Diretor Executivo), Diretores, Gestores, devem estar abertos para o processo de mudança de cultura e quebra de paradigmas, a mudança deve partir do topo para a base (contemplando todo corpo de colaboradores), dando solidez aos projetos de inovação que tornarão a empresa em questão, próspera, competitiva e com perspectivas reais de crescimento constante.

Vinícius Ferreira

Fonte da imagem: Google Imagens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s