QUESTIONAMENTOS QUE DIRECIONAM

ttrrg

Já parou para pensar que em alguns momentos na vida (profissional), nos questionamos sobre coisas que a princípio não temos a mínima ideia de qual é a RESPOSTA IDEAL? Mais ou menos assim (não se limitando, claro):

– O que vou fazer agora que me colocaram como grande responsável em um projeto na empresa? Quais são os primeiros passos? Como gerir uma equipe tão dispersa que não acredita no potencial dos resultados?

– A empresa está passando por dificuldades financeiras e solicita alternativas de redução de custo? O que propor? Como contribuir?

Interessante que na maioria do nosso tempo, estamos buscando respostas para eventos ou momentos complexos, cheio de incertezas, e é aí que entra meu questionamento, estamos buscando respostas para as perguntas certas, aliás, sabemos realmente onde queremos ir? Sabemos o real valor de um objetivo alcançado?

A nível profissional (hoje), na empresa onde atua, você se projeta? Nos próximos 5 anos, onde você quer estar? E o mais importante, o que tem feito para chegar no seu “planejado status futuro”?

Com relação a desempenho, como sabe se sua performance está contribuindo com os resultados da empresa? Você mesmo analisa seus “produtos” (relatórios, planilhas, informações, operações…) e diz, “MANDEI BEM”, ou faz questões do tipo, “ISSO AJUDARÁ MEU CLIENTE (seja ele interno ou externo), ELE SE SENTIRÁ SATISFEITO? FIZ DA MELHOR FORMA POSSÍVEL ANALISANDO TODOS OS REQUISITOS? OU FIZ SIMPLESMENTE DE MODO QUE “EU PROPRIAMENTE” AVALIO SER A MELHOR OPÇÃO.

E o tempo, tem faltado? Por motivo de planejamento excessivo (improvável), ou por alto esforço em retrabalhos, resolução de falhas reincidentes, ou fazendo atividades fora de sua alçada? Aquele treinamento importante para ser feito com sua equipe que não sai por falta de tempo, tem afetado nos resultados? De maneira positiva ou negativa? Não está na hora de parar, planejar, enxergar novas possibilidades de se fazer as coisas? Ou isso será uma eterna utopia contida em livros de boas práticas? (Acredito que não, pois empresas hoje já alcançaram esse status).

A energia gasta para encontrar respostas de perguntas tolas (como você consegue falhar tanto? Como conseguimos ser tão incompetentes? Por que não atendemos um prazo? Por que essa máquina quebra tanto?), não vale a incessante e inacabável busca de respostas para perguntas inteligentes (o que posso fazer diferente hoje, a fim de que meu desempenho melhore mais e mais? Esse método utilizado hoje, pode ser melhorado, otimizado, feito em menos tempo? De que forma posso contribuir mais efetivamente com minha equipe?).

O que acham?

Vinícius Ferreira

 

Fonte da imagem: Google Imagens

2 comentários em “QUESTIONAMENTOS QUE DIRECIONAM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s